segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Praia do Rosa - 2003/2004


Dia 31 de Dezembro de 2003 deixamos a Lagoa da Conceição em Floripa tendo como destino de sonho a melhor “virada do ano” do sul do Brasil. A miragem concretizava-se a 90 km, que seriam galgados pelos pneus de um “Fusca” com volante de Kart e uma carrinha Volkswagen modelo “Paraty podre de velha” que só aceitava álcool para beber.

Tal como o destino, já à partida, a viagem prometia!

A distância de compacta fila, percorrida a velocidade inversa à nossa ansiedade só veria fim passadas quatro horas de calor aliviadas pelos efeitos medicinais da maconha.
Quando todos pensávamos silenciosamente que o trajecto não podia ser pior, o “Fusca” recusou-se a cumprir a sua obrigação. A presença da polícia federal prontamente disponível para dar um empurrãozito a um carro que legalmente não existia num acto de notável generosidade transformou o contratempo num episódio para mais tarde recordar. Talvez intimidado, o “Fusca” acabou por se resignar e completou os 20 km que faltavam para o destino: Praia do Rosa.

Para além de nós os seis, estavam connosco mais 20 portugueses distribuídos por “viaturas topo de gama” entre elas a inesquecível Combi que tão talentosamente havia sido pintada de vaca.
Pelo caminho foi fácil admitir que Praia do Rosa na passagem de ano não tinha sido uma ideia propriamente original!

Chegados encontrámos lotação esgotada. Uma multidão de brasileiros, argentinos e uruguaios prontos para provar a loucura da meia-noite levantava poeira pelas estradas de terra batida.

Íamos ficando cada vez mais expectantes com o que a noite nos reservaria, incluindo eu, que sempre pensei que iria rentabilizar aquela noite e torná-la na melhor passagem de ano da minha vida. Tudo o que era preciso estava lá: espírito brasileiro, natureza, praia, calor, gente bonita, caipirinhas, música… era só tirar o maior partido possível…

O relógio estava prestes a marcar a hora que nos fez partir da ilha mágica, e eu ainda continuava a abastecer-me de morangoskas saídas de belíssimas mãos argentinas, depois de um jantar insosso. Tive de ser rápida, corri pelas estradas de terra batida, tinha de chegar à praia antes da meia-noite, queria fazer parte daquela festa branca e sentir toda a energia humana que vibrava ao longe…
Consegui… 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1!!! 2004! Deixei-me levar pela emoção comum a todos os que ali estavam numa entrega que até hoje nem tento explicar. Ali, naquele instante, não havia dúvidas: 2004 seria um ano diferente, especial como se me fosse possível prolongar o êxtase que estava a sentir por mais 365 dias!

Tudo terminou após uma curta hora, consequência de alguns excessos e, na realidade o ano também não foram rosas mas mesmo assim fico feliz ter feito parte daquela celebração.

(este texto é dedicado ao Fran, o catalão que com um abacaxi bêbado destruiu a minha noite)

3 comentários:

Juoum disse...

Olá Francisca!
Tudo bem?
Gostei do texto sobre a Praia do Rosa, eu não conheço pessoalmente mas pelo que toda a gente me conta deve ser realmente fantastica, eu trabalhei num projecto de uma casa de praia lá...
só achei estranho o Abacaxi Bebado, nunca vi nenhum...
A verdade é que eu vim aqui dar-te uma sugestão de musica... num dos varios blogs musicais que eu leio encontrei um artigo sobre o cubano Ibrahim Ferrer e como ja te tinha comentado sobre ele aqui te deixo o link http://somdoroque.blogspot.com/2007/08/ibrahim-ferrer-mi-sueo.html onde podes sacar o album dele MI SUEÑO...
Beijos
João

Francisca Correia disse...

JOÃO:
Tudo bem?
O Abacaxi estava embebido em whhisky, eu não me apercebi e comi-o todo à dentada passado meia-hora caí para o lado... sem perceber porque!!
Beijinhos

Mabides disse...

A melhor passagem de ano da minha vida ... tem que ser repetida! Infelizmente será difícil conseguir juntar o mesmo grupo, mas basta juntar alguns amigos que o sucesso destas passagens de ano estão garantidas! BRASIL = MELHOR PASSAGEM DE ANO!
Praia do Rosa é top e o clima nesta altura do ano, nesta zona ... ai jasusssssssssssss!!